Hugo Diogo

HUGO DIOGO nasceu no Seixal, em 1979, e é formado em Cinema e Televisão pela Middlesex University em Londres, tendo iniciado o seu trajeto como realizador em 2001 com a curta-metragem “Lua Azul”. Esta obra, para além do percurso nacional, foi seleção oficial do 10.º Raindance Film Festival no Reino Unido. Em 2005 regressa à realização com a sua a sua primeira longa-metragem de ficção “Incógnito” e a sua segunda “Marginais” em 2010.

Revisitando o formato de curta-metragem, em 2010 dirige e produz “O Tempo de Duas Músicas”, e um ano depois “Verão Invencível”.

Funda em 2011 a Lanterna de Pedra Filmes, uma distribuidora e produtora de cinema independente que, desde cedo se afirma, com uma forte linha editorial no seu catálogo. Atualmente tem diversos projetos em pré-produção, nas mais diversificadas plataformas do audiovisual.

DECLARAÇÕES DO REALIZADOR ACERCA DE IMAGENS PROIBIDAS

Há alguns anos atrás li o livro “SAUDADES DE NOVA IORQUE” do Pedro Paixão e, como realizador e contador de histórias, o protagonista cativou o meu interesse. Percebi que queria contar a sua história, a história dessa pessoa fragmentada, só, que parece destituída da capacidade de se aproximar dos outros. Interessava-me pensar o seu mundo, o seu olhar particular sobre a vida e a morte, o modo exacerbado como vive as emoções e a sua noção de existência.

Mas, IMAGENS PROIBIDAS pretende ser também uma homenagem ao amor que esperámos ter, mas não ousámos dizer, que apenas consegue ser materializado nos livros e no cinema, esse amor impossível, inefável, perfeito: esse amor Arte. (Hugo Diogo)